Vale da Trave Terra das Ervanárias

...assim se denominou pela relevância e pelo peso que assume o comércio das plantas para fins medicinais, cosméticos, alimentares e ornamentais, sendo esta designação a nossa imagem de marca territorial.

O pastoreio

Caprino e ovinos ainda pastam livremente pelos terrenos baldios.

Gruta do algar do Pena

O Centro de Interpretação Subterrâneo da gruta do algar Pena é um dos melhores locais para compreender os segredos das grutas. Esta cavidade está localizada nos terrenos baldios administrados por esta Assembleia de Compartes, tendo sido descoberta em 1983. É composta por um poço vertical de 35 metros (algar) que conduz a uma sala gigantesca de 105 mil metros cúbicos. A gestão desta gruta é da responsabilidade do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

Capela do Vale da Trave

Obras de beneficiação e requalificação da Capela do Vale da Trave apoiadas pelo Conselho Directivo.

Pinhal-manso da cruz de Valdemar

Plantado pelos Serviços Florestais do Antigo Regime, na década de 70 do século XX, este pinhal de pinheiro-manso, com cerca de 7 ha, é das poucas manchas florestais que não arderam na nossa serra que restam do período áureo dos Perímetros Florestais.

Pinhal do Baldio

Novas arborizações na Cabeça da Gorda, Vale das Pias, Covão Cego e Cabeço da Lapa, num total de 15 ha de Pinhal-manso.

Rede Viária Florestal

Entre a construção, alargamento, corte da vegetação das bermas e beneficiação da plataforma toda a rede viária da Assembleia de Compartes encontra-se operacional.

Lagoa do Vale da Trave

Projecto de requalificação da lagoa do Vale da Trave

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Incêndio em Vale da Trave colocou população em sobressalto

 A população do Vale da Trave viveu mais um dia de sobressalto com um incêndio às portas da povoação. As pessoas saíram à rua apreensivas perante o evoluir do incêndio florestal, que deflagrou a meio da tarde de segunda-feira, dia 25 de Julho, junto à estrada que faz a ligação entre Vale da Trave e as Barreirinhas, próximo do Vale da Sola.

O vento moderado que se fez sentir empurrou o incêndio para Sul, consumindo matos e pinhal, e, não fosse a pronta intervenção dos bombeiros e o auxílio do meio aéreo da Proteção Civil, haveria a possibilidade do fogo se estender para uma área de encosta, de difícil acesso, em direção à povoação de Alqueidão do Mato.

Nas operações no terreno estiveram envolvidos elementos de várias corporações de bombeiros: Alcanede, Alcanena, Minde, Torres Novas, Pernes, Santarém, Porto de Mós, entre outras, apoiadas por várias equipas de sapadores florestais.

O incêndio acabou por ser extinto em poucas horas, revelando-se a lagoa do Vale da Trave, mais uma vez, como um importante e estratégico ponto de água no apoio aos meios aéreos.

Os bons acessos que permitiram a intervenção de todo o tipo de veículo de combate, foram igualmente fundamentais, algo que, segundo o Conselho Diretivo do Vale da Trave, “mostra que o investimento deste ano realizado na limpeza, beneficiação e alargamento de caminhos florestais está revelar-se muito positivo”.



fonte: www.portalalcanede.com